Arquivo do blog

Compartilhe

2 de abr de 2013

Carro 'morre' em trilho e é arrastado


Ricardo Welbert

Quatro pessoas de uma mesma família viveram momentos de tensão na noite de domingo (31/3), quando o carro em que eles estavam 'apagou' sobre um trecho de linha férrea no bairro Niterói. Durante tentativas de remover o veículo, elas perceberam a aproximação de um trem e tiveram pouco tempo para correr.

De acordo com a Polícia Militar (PM), o acidente aconteceu por volta das 21h20. O operador de draga Fabrício Alexandre Santiago, de 34 anos, dirigia um Fusca pela rua Mateus Leme e se aproximou da linha férrea, para ter acesso à rua Francisco Carvalho. O local é uma passagem de nível (cruzamento de rua com linha férrea), mas não há cancela (espécie de barreira que se abaixa com a aproximação do trem, impedindo a passagem de automóveis).

Ao passar sobre o trilho, o motor do carro 'apagou'. Os ocupantes escutaram o barulho do trem se aproximando e pularam do veículo às pressas. O Fusca foi atingido pelo lado traseiro direito traseiro e arrastado por cerca de dois metros.

Durante a fuga, o motorista do Fusca e a esposa dele, Eliane de Oliveira, de 32 anos, tiveram ferimentos leves. Eles foram socorridos e levados ao Pronto-Socorro Regional. O homem recebeu atendimento e foi liberado. A mulher precisou ser transferida para o setor de ortopedia de um hospital.

Durante o registro da ocorrência, policiais militares descobriram que o Fusca 1300, com placa GLQ-3325, de Divinópolis, não estava com o licenciamento em dia (o último era referente ao ano de 2008). Além disso, Fabrício Alexandre Santiago não possui carteira de motorista. Por isso, foram lavrados autos de infração de trânsito e o veículo ficou retido.

O maquinista Hildeu Martins da Silva, de 50 anos, era quem conduzia a locomotiva J871, da Ferrovia Centro Atlântica (FCA). Ele disse à polícia que buzinou e acionou todos os freios de emergência, mas não conseguiu evitar a batida.

Sinalização

O local em que o acidente aconteceu é um cruzamento bastante movimentado. Quem passa pelo trecho reclama que falta sinalização. O chefe de estação da FCA, Fernando Maciel, informou que pediu à Prefeitura a instalação de sinalização de segurança e de uma cancela, mas ainda não houve solução.

O setor de planejamento viário do município disse que entrou em contato com o setor responsável pelas cancelas das passagens de nível e que busca, junto à FCA, informações que possam explicar o acidente.

Por meio de nota, a FCA informou que o local do acidente possui a Cruz de Santo André, sinalização que orienta motoristas e pedestres sobre a circulação de trem, com a instrução de 'pare, olhe e escute'. A empresa afirmou que o maquinista executou os procedimentos recomendados para tentar evitar a batida.

* Reportagem originalmente publicada no jornal Agora de 2/4/2013

Nenhum comentário:

Ocorreu um erro neste gadget