Arquivo do blog

Compartilhe

8 de mar de 2012

Panificadora O Pão Nosso comemora 25 anos de liderança

Quem nunca desistiu de um emprego para apostar todas as fichas no próprio negócio não sabe o que é empreender. Em Pitangui, os proprietários da panificadora O Pão Nosso fizeram isso há 25 anos e hoje conhecem a receita do sucesso. O início dos trabalhos da empresa está registrado na edição número 13 do jornal Município de Pitangui, publicada em oito de abril de 1987. Considerado relíquia, um exemplar (abaixo) está guardado no arquivo pessoal dos proprietários da padaria.

Município de Pitangui nº 13 - 08/04/87
O jornal destacou a panificadora O Pão Nosso como um dos empreendimentos mais sólidos e viáveis que acabara de ser instalado na cidade para atender a “sempre crescente” demanda de nosso consumo. O empreendimento foi concebido pelos jovens idealistas Milton de Faria Saldanha e Nírio de Oliveira Nunes.

Ainda segundo o jornal: “O projeto visa dotar a cidade de uma panificadora super avançada em termos de moderna tecnologia. Para isso, a Organização Saldanha e Nunes Ltda. Procurou se inteirar da real necessidade do mercado pitanguiense e, após minucioso estudo a cargo do Finame e de outros órgãos especializados, optaram pela organização de uma panificadora, cuja montagem ficou por conta de quem conhece do ramo, a Surprema Panificação, com sede em Sumaré, São Paulo”.

Rico em detalhes, o texto do jornal descreve os equipamentos adquiridos para o início da panificadora. “Um forno elétrico com duas câmaras sobrepostas para cozimento, todo ele isolado com lã de vidro, com quatro portas individuais para enforneamento. A capacidade de produção é de 100 quilos de farinha por hora. Foi instalada também uma amassadeira de estrutura compacta, fino acabamento em aço que mistura e cilindra qualquer tipo de massa sem aquecer, inclusive com dispensa de água gelada; uma batedeira em aço laminado com exclusivo sistema variador com cinco velocidades nos três batedores, além de cilindro, modeladora, divisora e outros equipamentos com fino acabamento e design moderno”, afirmou a publicação.

Segundo os proprietários da empresa, a panificadora O Pão Nosso busca modernizar a produção para conquistar uma boa fatia do mercado consumidor de Pitangui e região. Para tanto, trabalha com pessoal especializado na produção de produtos de panificação em tempo integral. Hoje, a panificadora é a única da cidade a oferecer pães quentinhos a cada meia hora (inclusive aos domingos).

Evolução da empresa

O jornal O Independente (abaixo) que circulou durante a primeira quinzena de agosto de 1993 trouxe informações sobre a nova sede da panificadora O Pão Nosso. “Quando os ex-bancários Nírio de Oliveira Nunes e Milton de Faria Saldanha resolveram instalar uma panificadora em Pitangui, acertaram em cheio a opção”. O empreendimento iniciou suas atividades em março de 1987 numa loja alugada na Avenida Gustavo Capanema, onde funcionou até julho de 1993. A partir daí, a Pão Nosso mudou-se para a sede atual, a poucos metros da anterior. Outra mudança que aconteceu na panificadora foi a saída do sócio Milton Saldanha e a entrada de José Ricardo Silva.

O Independente - 1ª quinzena de agosto de 1993
O sócio-proprietário Nírio de Oliveira Nunes destacou os objetivos da panificadora. “A nossa ideia era fazer um produto que superasse tudo o que já foi feito em termos de padaria em Pitangui. A preferência do povo é a comprovação disto”.

Planejamento, profissionalismo e qualidade

O sucesso da panificadora deve-se ao planejamento inicial, com estudos técnicos e tecnologia de ponta. Estes fatores, somados ao profissionalismo, atendimento diferenciado e à higiene, numa extrema preocupação com a qualidade do produto final, foram fundamentais para que a panificadora O Pão Nosso se destacasse no comércio pitanguiense. O sócio-proprietário José Ricardo da Silva garante: “Não existe segredo aqui. Buscamos apenas o melhores insumos e mão-de-obra para fazermos nossos produtos”.  

Hoje

Com a certeza de que o pão é um alimento essencial para nossa alimentação, a panificadora O Pão Nosso trabalha para produzir o melhor. Diariamente são produzidos, além de pães, roscas, bolos, biscoitos, salgados, doces, pães de queijo, bolos de aniversário, sanduíches naturais e muito mais. A panificadora ainda fornece em atacado para empresas. 


O slogan "fazendo seu alimento de todo dia", empregado nas diversas campanhas publicitárias promovidas nos principais veículos da cidade define bem a missão da panificadora. Falando sobre divulgação, a Pão Nosso lançou neste mês de março um novo jingle que passou a ser exibido nas três principais rádios do município. Confira a letra da música: 

Pão quentinho toda hora
Delícia de salgadinho
Sorvete, bolos e lanches
Tudo feito com carinho

Pão Nosso, Pão Nosso
Nosso pão de todo dia
Pão Nosso, Pão Nosso
Te servindo com alegria (2x)

Pão Nosso. Fazendo seu alimento de todo dia.
Avenida Gustavo Capanema, 191, Centro de Pitangui, MG. Telefone: 37-3271-4030.

Imagens

Pães quentinhos a cada meia hora

Excelente localização na região central da cidade

Tarecos

Bolos

Pães de queijo

Bolo redondo

Bolo redondo
Balcão de atendimento aos clientes


Um comentário:

Anônimo disse...

A Pão Nosso representa hoje o espírito de modernidade e empreendedorismo que teve início com a vinda do italiano Braz Megale para Pitangui. Foi Braz quem primeiro revolucionou a panificação pitanguiense trazendo da Europa técnicas modernas nesta arte tão importante para o nosso dia a dia. Vandeir

Ocorreu um erro neste gadget