Arquivo do blog

Compartilhe

20 de nov de 2012

Literatura ecologicamente sustentável


Fabricado com soja e papel reciclável, 'livro verde' será lançado em Divinópolis
Ricardo Welbert
Fabricar livros sem precisar cortar árvores para fazer o papel. Este é o sonho de muitos ambientalistas que lamentam o sacrifício da natureza durante o processo industrial. Uma saída inovadora para este dilema está prestes a ser mostrada em Divinópolis, durante aquele que já é considerado o primeiro 'livro verde' lançado na cidade. A denominação não faz referência à cor da capa e, sim, ao tipo de material que compõe a publicação. 'As Crônicas de Eldorado' (editora Barkaça, 2012), de Cochise César, Bárbara Rocha e Felipe Lacerda, é uma obra produzida com o mínimo de impacto ambiental, em uma gráfica paulista que possui os certificados de qualidade ISO 9.001 e de gestão ambiental ISO 14.001.

A tinta usada é à base de soja. O papel é reciclado. Além disso, todos os resíduos da produção do livro foram reaproveitados, conforme as exigentes práticas ambientais da empresa. Medidas de produção com consciência ambiental são obrigatórias em alguns países. Outro diferencial da obra, como explica o coordenador editorial, Luís Antônio Teixeira ('Mingau'), é a radicalização da ideia de coautoria pelo leitor.
- O livro é pioneiro na cidade por possuir uma licença internacional chamada Creative Commons, que permite ao leitor reproduzir e distribuir todo o conteúdo do livro, por qualquer meio e em qualquer quantidade, desde que sem fins comerciais e mantendo os créditos dos autores. A licença também permite que outros trabalhos sejam criados a partir do livro. Quem gostar da história e quiser dar continuidade a ela pode produzir outros textos, ou mesmo filmes e músicas. É possível, por exemplo, fazer com que dois personagens que não chegam a se conhecer no livro original tenham um caso amoroso - explica.
Selo
Por telefone, o Agora conseguiu conversar com um dos autores (o único que atendeu aos telefonemas). Cochise César tem 27 anos e é professor de informática em Belo Horizonte. Natural de Jacundá, no Pará, morou por alguns anos em Divinópolis e, por isso, se considera de casa. Ele contou que a ideia inicial era fazer uma revista em quadrinhos com histórias ambientadas na cidade de Eldorado, mas algumas dificuldades prejudicaram o andamento do trabalho.
- Sugeri, então, que fizéssemos um livro de contos. Com esse objetivo, procuramos o Luís Mingau, porque sabíamos do interesse dele em criar o selo editorial Barkaça - explica.
O autor explicou que o livro parte do pressuposto de que é possível contar muitas histórias interessantes em um único ambiente, desde que ele seja selvagem e leve os personagens aos seus limites, extraindo o máximo de sinceridade de cada um deles.
- Com a leitura de 'Crônicas de Eldorado', percebemos como a vida em sociedade nos coloca dentro de cercadinhos. Se esses limites desaparecem, tudo se transforma em caos. Eldorado é o caos - explica.
'Crônicas de Eldorado' é inspirado no clássico dos quadrinhos 'Sin City', de Frank Miller, que ganhou as telas de cinema. As histórias são cheias de corrupção, violência e erotismo. A introdução do livro explica que Eldorado é, na verdade, um pretexto para falar de pessoas que fizeram escolhas extremas. A ideia é mostrar que, em ambientes menos civilizados, o homem pode exercer de fato sua liberdade, mostrando sua verdadeira face.
Programe-se
'Crônicas de Eldorado' será lançado na próxima quinta-feira (22), às 20h, durante o terceiro Café Literário, na Casa Barkaça, que fica na rua Rio Grande do Sul, 1.430, no bairro Sidil. A entrada é gratuita. Serão oferecidos chás, café e quitutes. Assim como nas edições anteriores do evento, um escritor da cidade será homenageado. Na sequência, haverá um sarau com palco livre. Luiz Antônio Teixeira, que também é diretor da Barkaça, afirma que o lançamento de um livro é a realização de um antigo sonho.
- Outros dois títulos estão sendo preparados. Pelo menos um deles será lançado ainda neste ano - garante. 
A tiragem de 'Crônicas de Eldorado' é limitada (foram produzidos apenas 500 exemplares). Por isso, interessados em adquirir exemplares devem comparecer ao lançamento, no qual o livro será vendido por R$ 25. Para mais informações, o telefone é (37) 9954-5245.
A reportagem, originalmente publicada no jornal Agora de 20/11/2012


Nenhum comentário:

Ocorreu um erro neste gadget