Arquivo do blog

Compartilhe

7 de mar de 2011

Tristes realidades

Fevereiro foi mês de tragédias pela região centro-oeste de Minas.

Por volta das 3h da madrugada da quarta-feira 23, policiais rodoviários de Pará de Minas foram chamados ao quilômetro 483, da BR-352, perto da balança de pesagem de caminhões em Pitangui, onde depararam com o Ford Fiesta vermelho, de Nova Serrana, batido em um barranco.

A condutora do Fiesta, Alexandra Marcela Viegas de Faria, de 21 anos, teve morte instantânea e o seu corpo estava dentro do veículo. Pelos levantamentos iniciais, ela aparentemente perdeu o controle do carro e bateu de frente com o barranco.

De acordo com a Polícia Rodoviária Estadual, a vítima não possuía carteira de habilitação. O corpo foi removido pelo serviço funerário após o trabalho da perícia técnica. Alexandra Marcela Viegas de Faria morava em Pitangui.

Na página da jovem no Orkut, parentes e amigos estão deixando suas mensagens de saudade, tristeza e incredulidade.



Na página de recados da jovem Alexandra Marcela no site de relacionamentos orkut.com, lamentações de parentes e amigos (foto: reprodução da internet)



Na tarde da sexta-feira (25/2), registrou-se uma fatalidade em Nova Serrana. Edson Gontijo de Souza, de 53 anos, conduzia um automóvel Ford Escort, cor cinza, com placa de Divinópolis. Ele teria perdido o controle em uma curva, rodado na pista e batido de frente com a carreta Mercedes-Benz branca, placa de Bom Despacho, conduzida por um homem 50 anos. De acordo com a PRE, com o forte impacto, o Escort se partiu ao meio e o condutor teve morte instantânea. O corpo da vítima ficou completamente dilacerado.

Veículo se partiu ao meio (foto: Israel Ferreira)
Sem controle, a carreta invadiu a contramão de direção e parou fora da pista. O motorista teve apenas ferimentos leves e estava muito assustado. Ele contou aos policiais que chovia forte no momento em que o carro rodou na pista.

O corpo de Edson Gontijo de Souza foi liberado para a funerária após os trabalhos periciais. Muito óleo da carreta ficou espalhado pelo asfalto e o Corpo de Bombeiros de Nova Serrana precisou lavar a pista para evitar novos acidentes.

Na manhã do sábado seguinte, eu estava em casa quando recebi um telefonema. Havia ocorrido outro acidente na BR-352, agora no sentido Pitangui / Martinho Campos. Fui imediatamente para o local e deparei com o corpo de um homem sendo levado na traseira de um veículo de funerária. Mais uma vítima fatal.

O condutor de um VW Gol teria dormindo enquanto dirigia e invadido a pista contrária. Bateu de frente com um caminhão, teve um dos braços arrancado e sofreu vários ferimentos pelo corpo. Morte instantânea.

Automóvel Gol ficou destruído na batida que tirou a vida de seu condutor (foto: Ricardo Welbert 06/2/11)

Em nenhum dos casos que mencionei as estradas estavam ruins. Aliás, boa parte das rodovias da região está com asfalto muito bem conservado. Porém, isso às vezes favorece o aumento de velocidade. As rodovias também tem placas alertando quanto aos limites de rapidez.

Entra ano e sai ano, o governo renova as abordagens das campanhas de combate à dengue – e muita gente não consegue atender ao simples pedido de não deixar água acumulando em latas, pneus, garrafas, vasos de plantas..., enfim.

As placas das estradas tem sido como as campanhas de combate ao aedes: existem por toda parte, mas estão sendo negadas por muitos. Quem sofre as conseqüências são os vizinhos que pegam dengue e os condutores que trafegam pela mesma pista que pessoas inconseqüentes que não sabem de suas responsabilidades quando estão entre a poltrona e o volante.

Nenhum comentário:

Ocorreu um erro neste gadget