Arquivo do blog

Compartilhe

7 de fev de 2014

Salões de beleza viram “febre” em Divinópolis


Prefeitura contabiliza 255 estabelecimentos; programa favorece abertura de negócios

Ricardo Welbert

A cada mês surgem no Brasil sete mil novos negócios na área de beleza, segundo um levantamento do Sebrae. Em fevereiro de 2012, havia quase 185 mil salões no país. Um ano depois, o número saltou para 265 mil, um crescimento de 45%. Minas Gerais foi o Estado com o maior aumento: 80,4%. Em Divinópolis, existem 255 estabelecimentos desse tipo cadastrados na Prefeitura. 

Um deles é o da cabeleireira Rosângela Gonçalves Vitor. Quando abriu o negócio, há 20 anos, não tinha o registro. 

— Passei dez anos atendendo clientes em minha própria casa, até que a fiscalização passou por lá. Fui obrigada a registrar a empresa e pagar os altos impostos que o governo impõe. Até hoje não me conformo em ainda ser obrigada a pagar tanto para trabalhar — ela diz. 

Ricardo Welbert
Rosângela pensa em tirar maquininha do salão
O salão de Rosângela possui uma máquina para receber com cartões de crédito e débito. Só para manter o equipamento, a empresária desembolsava R$ 74 por mês.
 
— Só que em três meses pagando essa mensalidade, apenas três clientes pagaram com cartão. Hoje [ontem] fui ao banco para cancelar o serviço. O gerente propôs que eu ficasse com a máquina até maio, pagando R$ 44 mensais. Aceitei, mas se essa máquina continuar me dando prejuízo, vou cancelar — conta.

Expansão

De acordo com o consultor do Sebrae Diogo Reis, o número é maior.
 
— O segmento de serviços de beleza e estética tem crescido bastante. Além dos profissionais que atuam de forma legal, com alvará e licença do Município, é preciso considerar os que trabalham sem o registro — fala. 

Ainda segundo o consultor, a tendência é que cada vez mais prestadores dos serviços atuem dentro da legalidade. 

— Com a abertura da modalidade de microempreendedor individual, em 2009, ficou muito mais fácil abrir o próprio negócio sem correr o risco de ser fechado pela fiscalização — diz.

Pelo programa Microeempeendedor Individual, mesmo quem tenha um investimento inicial pequeno consegue se formalizar, ter CNPJ, contratar funcionários e garantir benefícios previdenciários como aposentadoria por invalidez, auxílio doença, além de vantagens como serviços bancários diferenciados, possibilidade de receber por cartão e isenção do pagamento de alvará. 

Ricardo Welbert
Francinne Chaves diz que faturamento aumentou
A cabeleireira Mislene Corrêa também tem um salão de beleza registrado em seu nome. No ano passado, ela decidiu aderir ao programa. Parceira no negócio, a também cabeleireira Francianne Chaves afirma que o negócio cresceu. 

— Ficou muito mais fácil, pois temos descontos em compras e as taxas de movimentação bancárias são menores. O faturamento melhorou. Em fins de semana, costumamos receber mais de 15 clientes por dia — conta.

Adesão 

Para atrair novos interessados no microempreendedorismo individual, o Sebrae em Divinópolis oferece palestras explicativas gratuitas. O candidato deve comparecer à Sala do Empreendedor, que fica na rua Rio de Janeiro, nº 942, sala 201, das 8h às 17h. O telefone para outras informações é o 3214-9231.

SAIBA MAIS 

Tendências e oportunidades

A expansão de salões de beleza Brasil afora ocorre a tiracolo do setor de higiene pessoal, perfumaria e cosméticos, o que demonstra a importância que a beleza vem tomando no panorama brasileiro. Entre os fatores que contribuem para esse mercado estão o aumento da expansão da classe C, a tecnologia de ponta (que gera ganhos de produtividade) e a participação crescente da mulher no mercado de trabalho.

Nenhum comentário:

Ocorreu um erro neste gadget