Arquivo do blog

Compartilhe

5 de mai de 2011

O triste adeus à querida Ana Letícia Fagundes


O rostinho marcante de Ana Letícia
Pitangui perdeu uma filha bastante notável hoje (5/5). Eu perdi uma colega de trabalho que considerava muito e por quem (apesar de não termos tido muita convivência fora do mundo jornalístico)  tinha sincera amizade. Ana Letícia Fagundes, 26 anos, era formada em Jornalismo e trabalhava como assessora de comunicação da prefeitura da cidade. Conversávamos quase que diariamente. Eu telefonava para ela em busca de informações para minhas matérias e ela, sempre demonstrando boa vontade e profissionalismo, me atendia - exercendo sua função e me ajudando bastante.

Registro feito durante passeio na praia
Estou procurando palavras, mas elas parecem estar fugindo de mim. Elas sabem que não são suficientes para descrever o triste significado desta perda. Tão jovem, teve o vigor e o sorriso tomados por um aneurisma cerebral. De acordo com familiares, Ana Letícia passou a sentir fortes dores de cabeça na semana passada. Passou pelo hospital de Pitangui, recebendo atendimento também em Pará de Minas e Divinópolis.

A criativa Ana Letícia
Um exame de tomografia detectou entupimento de algumas artérias na região do cérebro. No hospital Mater Dei, em Belo Horizonte, passou por uma cirurgia na cabeça que durou horas dos últimos sábado e domingo. Na madrugada de hoje, o corpo não resistiu. Fui comunicado no início da manhã pela Isadora, irmã dela e grande amiga minha. Me senti obrigado a telefonar imediatamente para a rádio e fazer uma entrada ao vivo, de casa, para dar a infeliz notícia aos ouvintes que vinham acompanhando informações sobre o estado de saúde dela desde o início da semana.

A brincalhona Ana Letícia

No velório, era difícil caminhar devido à quantidade de pessoas. Demonstração óbvia de quão querida era aquela moça. Dificuldade para conter o choro. Na missa de corpo presente, a capela de São Vicente de Paulo (no asilo) ficou minúscula. Espaço lotado, com uma multidão acompanhando do lado de fora. No sepultamento, o pior dos momentos. Impossível controlar a emoção. Principalmente com as palavras do pai dela (grande senhor Rossini. Meus sentimentos a ele), que citou os momentos de angústia nos hospitais e agradeceu às inúmeras orações e preces que, de acordo com ele, bombardearam o céu.

A religiosa Ana Letícia

É difícil. Me encontrei com ela pela última vez na terça-feira da semana passada (26/4). Estava aparentemente bem. Pelo que sei, na tarde daquele mesmo dia ela começou a sentir as dores de cabeça. Ficam em minha memória os momentos em que sentamos para conversar sobre jornalismo (profissão que, sem dúvida, ela adorava) e outras coisas.

A amiga Ana Letícia voou para longe de nós e deixou muitas saudades

"Deus sabe o que faz" foi a afirmação mais dita durante a despedida. "Uma flor seguiu para o jardim de Deus". Com certeza.

Ana Letícia em momento de descontração e diversão com amigos
Outro dia, comentei com Ana Letícia sobre este meu blog e ela disse (exatamente com estas palavras): "Eu sei! Eu sei! Sempre visito seu blog!". É uma pena que, hoje, eu esteja colocando esta homanagem in memorian. Se, de onde estiver, puder ler este blog, fique sabendo, Ana, que você está fazendo falta. Meus pêsames aos parentes e demais amigos. Ao namorado dela, o Saulo de Tarso, força neste momento tão difícil.

6 comentários:

Leonardo Morato disse...

Difícil né Ricardo!? Até falar é difil, o Saulo (namorado) é do meu sangue (Xoxo). E a Ana, com a carinha boa, sempre teve o pefil concilador (do bem) A última vez que a vi, foi na sexta feira da Paixão em Pitangui, enquanto fotografávamos juntos a Procisão. "Oi Léo, prazer, estou fazendo umas fotos pra mandar pra Assoc. das Cidades Históricas de Minas. Deixeu correr! Mais tarde, vi a Ana do lado no adro da Matriz e tive vontade de fotgrafá-la no exercício da função, mas não o fiz (Ô arrependimento). Perdi a oportunidade né Ana. Me desculpe, daí do alto, se tiveres a fim, dê a melhor dica de matérias ou de pesquisa para todos nós que estamos nesta vida de passagem. Descançe em paz, Aninha!

"A voz do anjo sussurou no meu ouvido, eu não duvido já escuto os teus sinais" (Alceu Valença).

PS: justa homenagem feita pelo Dênio Caldas (em nome da equipe), no www.daquidepitangui.blogspot.com

Ricardo Welbert disse...

Nossa, Léo. Também estou num arrependimento de não ter dado um abraço nela quando a vi pela última vez (ela, que adorava ganhar e distribuir abraços).

HOMENAGEM

Nesta segunda, às 12h10, a rádio Ativa FM vai apresentar uma reportagem especial em homenagem a esta pessoa tão querida por todos nós: Ana Letícia Fagundes. Será exibida uma gravação que ela fez para o programa "Pitangui em Foco". Amigos da jornalista abrem seus corações sobre as relações de amizade, carinho e amor que dividiram. Não percam. Dia 9, às 12h10, na rádio Ativa FM 107.3 ou pelo www.ativa107.com.br

Girlene disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Girlene disse...

Ana Letícia era meiga,querida,humilde, linda,gentil e carismática. A última vez que a vi, foi antes da semana santa, lembro-me que estava na Lanchonete do Juninho, ela chegou apressada, para ser atendida, pois iria trabalhar, e o rapaz disse-lhe: estou atendendo uma cliente. Percebi sua pressa, e disse-lhe, pode atende-la, não me importo. Ela sorriu agradecida e disse-me sucessivamente: Deus lhe pague muito... foram suas últimas palavras que sempre lembrarei. Que tenha a paz eterna junto a Deus, e que ELE conforte toda sua família e amigos.

Isadora disse...

Olá Ricardo, estou passando para parabenizá-lo pelo blog e agradecê-lo pelas lindas homenagens que prestou à minha irmã. Deus lhe pague. Abraços. Isadora Fagundes

Ricardo Welbert disse...

Obrigado, Girlene. Obrigado, Isadora. Estas homenagens são mais que justas. A Ana merece isso e muito mais. Abraço, Isadora. Que Deus e o tempo cuide de confortar vocês familiares e nós, amigos, que também estamos sentindo muita falta dela.

Ocorreu um erro neste gadget