Arquivo do blog

Compartilhe

27 de abr de 2011

Abusado - o dono do morro Dona Marta


Capa de "Abusado - o dono do morro Dona Marta" (foto: reprodução da internet)

Nem todo texto indicado pelos professores da faculdade é chato. Muitos são até interessantíssimos e, claro, riquíssimos. Entre eles, "Abusado - o dono do morro Dona Marta", de Caco Barcellos. Estou a poucas páginas de concluir a leitura e já considero esta uma das melhores obras que li. "Abusado" é um livro-reportagem que em 2004 faturou o Prêmio Jabuti na categoria Reportagem e melhor livro do ano não-ficção. O líder do "Profissão Repórter" narra a violência urbana instalada no Rio de Janeiro contando a história de Juliano VP - codinome de Marcinho VP, traficante conhecido do morro Santa Marta, Zona Sul do Rio e que foi assassinado na prisão em 2003.

O livro mostra a gritante desigualdade entre os moradores da Zona Sul e os moradores da favela ao lado. Pessoas que já nascem sem oportunidade na vida e completamente esquecidos e abandonados pelo poder público não tendo, na maioria das vezes, nenhuma chance de escolha. Mostra também a forma truculenta, corrupta, dissimulada e manipuladora da polícia, além das péssimas condições carcerárias. Toca ainda na descarada manipulação da imprensa, que a despeito do comprometimento com a realidade, escreve e publica aquilo que lhe convém.

O leitor deste livro passa a entender bastante sobre as artimanhas do tráfico de drogas e de vários outros crimes que funcionam dentro e fora dos morros e como os traficantes são os juízes daqueles lugares, criando e fazendo cumprir suas leis. Mostra a controvérsia dos traficantes que fazem toda a parte social, humana e assistencialista dentro de lugares esquecidos pelo poder público e que, ao mesmo tempo, são os feitores de crimes bárbaros contra seus conterrâneos.


Marcinho VP - que, no livro, recebe o codinome de Juliano VP (foto: reprodução da internet)
Juliano VP era um traficante sem vícios, de gosto refinado, nutria leitura, era religioso e tinha contatos que iam do alto escalão do Comando Vermelho até intelectuais cariocas, além das namoradas que iam das moradoras do morro até as meninas classe média da Zona Sul do Rio. Ele declarava estar “no lado certo da vida errada”. Uma história fascinante!

Em uma entrevista, ele cita a seguinte frase:

- Eu, particularmente, odeio sequestro. Até porque fui sequestrado três vezes pela polícia para me mineirar, extorquir. O meu grupo não pratica esse crime. Mas de uma certa forma o seqüestro funciona como um meio de distribuição de renda, não há como fugir disso.

O leitor facilmente se envolve com o livro e passa a admirar o jornalista Caco Barcellos pelo profissional que é. A título de curiosidade, a favela de Santa Marta é o morro onde Michael Jackson gravou aquele clipe - cujo nome esqueci. Sabe quem trabalhou na segurança pessoal do astro? Lei o livro. Vale a pena.

Onde comprar

Comprei o meu em um sebo cadastrado na "Estante Virtual" (http://www.estantevirtual.com.br/)
Também o encontrei no "Submarino" (http://www.submarino.com.br/)

Um comentário:

Anônimo disse...

O livro e otimo vivi nesse tempo, conheci o marcio vivi o terror da guerra de 87 tenho conhecimento das vedades ditas e as que nao foram ditas nesses longos anos

Ocorreu um erro neste gadget