Arquivo do blog

Compartilhe

4 de abr de 2009

Em busca de soluções

Foi realizada na terça-feira, 1º/4, no Salão Paroquial do Centro Pastoral Padre Guerino Pontello, Centro de Pitangui, uma Audiência Pública entre a Comissão de Segurança Pública da Assembléia Legislativa do Estado de Minas Gerais, prefeito, vereadores e poder Judiciário, líderes comunitários, representantes de bairro e populares, onde foi discutido o alto índice de violência na Comarca de Pitangui, que preocupa toda a região. O assunto foi discutido em assembléia na cidade pela segunda vez em menos de um ano. Cerca de 350 pessoas estiveram presentes.

Também, pudera. Os números são alarmantes. A cadeia pública de Pitangui guarda mais de 90 detentos. A cidade tem apenas uma delegada que, em breve, estará de licença maternidade. Para piorar, faz parte da Comarca a cidade de Papagaio que, por ser uma cidade extrativista, recebe um alto número de trabalhadores de todos os cantos do país e guarda o 13º lugar no ranking da violência em Minas.

O deputado estadual Antônio Júlio de Faria, que convocou a reunião, faz parte da comissão e explicou que o grande interesse da reunião foi de cobrar do governo uma solução para o caos implantado pelo crime na região. “A situação (da violência) em Pitangui é muito preocupante e tende a piorar se o Governo não se posicionar com eficácia na identificação das causas”, disse o parlamentar.

Antônio Júlio disse que, agora, provavelmente, serão tomadas as devidas providências. Segundo ele, em um mês os presos condenados da cadeia municipal serão transferidos. Antônio Julio ressaltou a importância da divulgação, pela imprensa, dos temas e decisões saídas do debate.

O deputado João Leite, que presidiu a Audiência, anunciou a intenção do Estado em construir uma penitenciária em Pitangui para resolver definitivamente o problema de superlotação na cadeia pública, mas lembrou que ainda não há nada oficial sobre o assunto.

O juiz da Comarca de Pitangui, Adalberto Rodrigues, alfinetou a Justiça pelas suas dificuldades como falta de recursos humanos e defendeu a importância da Audiência Pública para levantar a atual situação do município. “O maior problema é o tráfico de drogas, que gera uma infinidade de outros crimes, como furtos, roubos, homicídios, entre outros”, disse o magistrado.
O prefeito de Leandro Ferreira, Edson Correia, o Rasteira, defendeu a reforma do Código Penal com penas mais severas para coibir a violência.

O prefeito de Papagaios, Mário Reis Filgueiras, disse que, por sua cidade ser um aglomerado de trabalhadores estrangeiros, o baixo efetivo policial é um dos fatores responsáveis para que a cidade seja posicionada entre as dez mais violentas do estado.
O prefeito de Pitangui, Evandro Rocha Mendes, ressaltou a importância da Audiência para a população. "Todos querem a solução para este problema e nós estamos aqui para debater as maneiras de se fazer isso".

Nenhum comentário:

Ocorreu um erro neste gadget