Arquivo do blog

Compartilhe

18 de set de 2011

Nova Serrana recebe R$ 5 mi. Pitangui fica a ver navios


No dia dois de setembro, o jornal Diário, de Nova Serrana, trouxe a manchete: "Cinco milhões do Novo Somma para Nova Serrana". 

Novo Somma é um programa do Governo de Minas em parceria com o Banco de Desenvolvimento de Minas Gerais (BDMG) que oferta empréstimos às prefeituras com três anos de carência e 15 para pagar, com juros de 4% ao ano. Porém, as prefeituras precisam da autorização dos vereadores para pegar o empréstimo. Em Pitangui, numa mais que descarada jogada política, visando benefício de um grupo - que não foi a população -, a Câmara não autorizou a prefeitura a pegar o empréstimo. 

O Banco Central e o Tesouro Nacional haviam dado sinal verde para o município adquirir o benefício. Mas, por sete votos a dois, isso não foi possível. Nova Serrana, Pará de Minas e Formiga foram algumas das cidades vizinhas que pegaram o empréstimo. Será que o que está sendo bom para eles seria ruim para nós? Vejo tremendas inveja e falta de interesse em admitir que a atual gestão colocou a cidade na lista de municipios com o nome limpo na praça. 

Em entrevista, o governador Antônio Anastasia (PSDB) falou sobre o Novo Somma. Disse que é um recurso muito importante porque é um financiamento com valores muito baixos a favor dos municípios. "Bem, esse programa Novo Somma, em primeiro lugar, é um programa muito importante porque significa um financiamento com recursos do BDMG a favor dos municípios mineiros, especialmente os menores e médios, destinados à infraestrutura, à compra de equipamentos, à melhoria da questão ambiental. É um recurso muito importante. Primeiro, porque é um financiamento com valores muito baixos, a favor dos municípios. Mas o mais importante é que ele injeta recursos nos tesouros municipais permitindo aos municípios realizar as suas obras. Nós sabemos que a esfera de governo, também o Estado, necessita muitas vezes de aportes externos para fazer o chamado investimento, porque o grosso dos recursos públicos fica no custeio e no pessoal. Então, investimentos acabam sendo prejudicados. Por isso mesmo, essa ação do banco é muito positiva. Vejam que liberamos quase R$ 70 milhões para cerca 38 municípios, são recursos expressivos, que vão permitir a esses municípios, especialmente os menores, realizar obras importantes nas suas cidades", disse o governador.

Será que Pitangui não está precisando destas obras que o governador afirma serem importantes? 

Anastasia também disse que é preciso melhorar a educação, a segurança e a saúde, mas é muito importante fazer obras físicas. "É muito importante que o Estado tenha também os seus municípios desenvolvidos. Minas Gerais nunca será inteiramente desenvolvida se os seus 853 municípios, todos eles, também não tenham atingido um bom grau de desenvolvimento e de inclusão produtiva. Por isso mesmo, todo o tipo de investimento nos municípios, como fizemos ao longo dos últimos anos, com asfalto, com telefonia, com maquinário, é fundamental ser revertido a favor do município porque ele, ao final, na soma de tudo, significa também o desenvolvimento do Estado como um todo".

Exatamente por causa disso que mencionei, este olhar para o próprio umbigo ao invés de fitar o futuro da cidade, prejudica Pitangui nesta lista de municípios na busca constante pelo desenvolvimento. A população precisa tomar conhecimento destes fatos, saber o que tem sido feito por aquelas pessoas eleitas para trabalhar pela população, pela pólis, pelo todo. Acompanhar as reuniões e cobrar informações a respeito do que é aprovado, do que é votado e do que permanece engavetado para ter uma noção de quanto seu voto valeu a pena ou não e se preparar para o próximo momento de se posicionar na cabine de votação e decidir o futuro de sua cidade. 

Nenhum comentário:

Ocorreu um erro neste gadget